sexta-feira, 27 de agosto de 2010

A consciência...

A consciência é o nucleo secretíssimo e o sacrário do homem onde ele está sozinho com Deus e onde ressoa sua voz.
A consciência moral é um julgamento da razão pelo qual a pessoa humana reconhece a qualidade moral de um ato concreto.
Para o homem que cometeu o mal, o veredicto de sua consciência permanece um penho de conversão e de esperança.
uma consciência bem formada é reta e verídica. formula seus julgamentos seguindo a razão, de acordo com o bem verdadeiro querido pela sabedoria do Criador. Cada qual deve usasr os meios adequados para formar sua consciência.
Colocada diante de uma escolha moral, a consciência pode emitir um julgamento correto de acordo com a razão e a lei divina ou , ao contrário, um julgamento errôneo, que se afasta da razão e da lei divina.
O ser humano deve obedecer sempre ao julgamento certo de sua consciência.
A consciência moral pode estar na ignorância ou fazer julgamentos errôneos. Essa ignorância e esses erros nem sempre são isentos de culpa.
A palavra de Deus é luz para nossos passos. É preciso que a assimilemos na fé e na oração e a coloquemos em prática.
Assim se forma a consciência moral.

Extraido do Catecismo

1ªConvenção ICAI-TS

1ªConvenção ICAI-TS
Abadia Nossa Senhora Maria Mãe dos Excluídos
Feira de Santana - Bahia

Sob a invocação do Espírito Santo foi aberta no dia 20/08 próximo passado na Capela de Santa Luzia a 1ª convenção ICAI-TS que reuniu nosso Clero com o proposito de repensar a Evangelização e os caminhos pelos quais podemos trilhar no anuncio do Evangelho de Cristo.
Uma Constituição Dogmática que estabeleça uma clara ligação com os Ideais de Dom Salomão Ferraz decodificador do novo modo de ver a Igreja de Cristo. Desviar-se de sofismas enganadores de Clerigos autoritários e despreparados que usem a Igreja como trampolim para satisfazer vaidades pessoais e procuram introduzir uma forma despótica de gerir a obra divina, travestidos de Pastores, mas que por dentro são "lobos vorazes." unir o culto dado-lhe uma identidade única sem contudo as mais remotas tradições, uma vez que vimos de séculos de caminhada onde os que nos procederam legaram suas formas de louvar a Deus. Assim tomando nas mãos a tradição e as Igrejas irmãs situar o mais próximo possivel da Igreja primitiva e o melhor e mais profundo encontro entre a oração do homem e a ligação profunda com o Pai.
Por fim a convenção decidiu diretrizes para a obra social de Igreja braço da generosidade daqueles que vivem a verdadeira vida espiritual.
Cabe destacar a sabedoria do nosso Bispo Primaz Dom Felismar Manoel que aclarou nossos corações e mentes com o seu conhecimento e valor, enfim cada participante trouxe sua colaboração para enriquecer este momento de encontro com Deus.

Palavras de Dom Augusto

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Sexta feira 13 de agosto

Esta superstição pode ter tido origem no dia 13 de Outubro de 1307, sexta-feira, quando a Ordem dos Templários foi declarada ilegal pelo rei Filipe IV de França; os seus membros foram presos simultaneamente em todo o país e alguns torturados e, mais tarde, executados por heresia.

Outra possibilidade para esta crença está no fato de que Jesus Cristo provavelmente foi morto numa sexta-feira 13, uma vez que a Páscoa judaica é celebrada no dia 14 do mês de Nissan, no calendário hebraico.

Recorde-se ainda que na Santa Ceia sentaram-se à mesa treze pessoas, sendo que duas delas, Jesus e Judas Iscariotes, morreram em seguida, por mortes trágicas, Jesus por crucificação e Judas provavelmente por suicídio.

Além da justificativa cristã, antes disso existem duas outras versões que provêm da mitologia nórdica que explicam a superstição. Na primeira delas, conta-se que houve um banquete e 12 deuses foram convidados. Loki, espírito do mal e da discórdia, apareceu sem ser chamado e armou uma briga que terminou com a morte de Balder, o favorito dos deuses. Daí veio a crendice de que convidar 13 pessoas para um jantar era desgraça. Há também quem acredite que convidar 13 pessoas para um jantar é uma desgraça, simplesmente porque os conjuntos de mesa são constituidos, regra geral, por 12 copos, 12 talheres e 12 pratos.

Segundo outra versão, a deusa do amor e da beleza era Friga (que deu origem a frigadag, sexta-feira). Quando as tribos nórdicas e alemãs se converteram ao cristianismo, Friga foi transformada em bruxa. Como vingança, ela passou a se reunir todas as sextas com outras 11 bruxas e o demônio, os 13 ficavam rogando pragas aos humanos. Da Escandinava a superstição espalhou-se pela Europa.

Alguns incidentes ocorridos nessa data:

  • 13 de Dezembro de 1968: O governo militar do Brasil decreta o AI-5, que, entre outras coisas, suspendeu direitos e garantias políticas, decretou estado de sítio no Brasil e dava poderes aos militares de fechar o Congresso.
  • O pior incêndio de florestas na história da Austrália ocorreu em uma sexta-feira 13 de 1939, onde aproximadamente 20 mil quilômetros de terra foram queimados e 71 pessoas morreram.
Extraido do Wikipédia

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Oração


De onde vem a oração humana? Qualquer que seja a linguagem da oração (gestos e palavras), é o homem todo que reza. Mas, para designar o lugar de onde brota a oração, as Escrituras falam às vezes da alma ou do espírito, geralmente do coração (mais de mil vezes). É o coração que reza. Se ele está longe de Deus, a expressão da oração é vã.
O coração é a casa em que estou, onde moro (segundo a expressão semítica ou bíblica: aonde eu"desço"). Ele é nosso centro escondido, inatingível pela razão e por outra pessoa; só o Espirito de Deus pode sondá-lo e conhecê-lo. ele é o lugar da decisão, no mais profundo de nossas tendências psíquicas. É o lugar da verdade, onde escolhemos a vida ou a morte. É o lugar do encontro, pois, à imagem de Deus, vivemos em relação; é o lugar da Aliança.
A oração cristã é uma relação de aliança entre Deus e o homem em Cristo. É ação de Deus e do homem; brota do Espírito Santo e de nós, totalmente dirigida para o Pai, em união com a vontade humana do Filho de Deus feito homem.

Extraido do Catecismo Católico

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Comunicação

O direito à comunicação da verdade não é incondicional. Cada um deve conformar sua vida com o preceito evangélico do amor fraterno. Este requer, nas situações concretas, que se avalie se é conveniente ou não revelar a verdade àquele que a pede.
A caridade e o respeito à verdade devem ditar a resposta a todo pedido de informação ou de comunicação. O bem e a segurança do outro, o respeito à vida privada, o bem comum são razões suficientes para se calar aquilo que não deve ser conhecido ou para se usar uma linguagem discreta. O dever de evitar o escândalo impõe muitas vezes uma estrita discrição. Ninguém é obrigado a revelar a verdade, a quem não tem o direito de conhecê-la.
Por exemplo, de políticos, militares, médicos, juristas - ou as confidências feitas sob sigilo devem ser guardados, salvo casos excepcionais em que a retenção do segredo causasse àquele que os confia, àquele que os recebe ou a um terceiro prejuízos muito graves e somente evitáveis pela divulgação da verdade. ainda que não tenham sido confiadas sob sigilo, as informações privadas prejudiciais a outros não podem ser divulgadas sem uma razão grave e proporcionada.
Cada um deve manter a justa reserva acerca da vida privada das pessoas. Os responsáveis pela comunicação devem manter uma justa proporção entre as exigências do bem comum e o respeito dos direitos particulares. A ingerência da informação na vida privada de pessoas comprometidas numa atividade política ou pública é condenavel na medida em que ela viola sua intimidade e liberdade.
Na Sociedade moderna, os meios de comunicação social exercem um papel primordial na informação, na promoção cultural e na formação. O papel cresce em razão dos avanços técnicos, com a amplitude e a diversidade das notícias transmitidas, com a influência exercida sobre a opinião pública.
A informação dos meios de comunicação social está a serviço do bem comum. A sociedade tem direito a uma informação fundada sobre a verdade, a liberdade, a justiça e a solidariedade.
O correto exercício desse direito exige que a comunicação seja, quanto ao objeto, sempre verídica e completa, dentro do respeito às exigências da justiça e da caridade; que ela seja, quanto ao modo, honesta e conveniente, quer dizer, que na aquisição e difusão das notícias observe absolutamente as leis morais, os direitos e a dignidade do homem.

Extraido do Catecismo Católico

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

A transfiguração

A partir do dia em que Pedro confessou que Jesus é o Cristo, o Filho do Deus vivo, o Mestre "começou a mostrar a seus discípulos que era necessário que fosse a Jerusalém e sofresse... que fosse morto e ressurgisse ao terceiro dia" (Mt 16,21): Pedro rechaça este anúncio, os demais também não compreendem. É neste contexto que se situa o episódio misterioso da Transfiguração de Jesus sobre um monte elevado, diante de três testemunhas escolhidas por ele: Pedro, Tiago e João. O rosto e as vestes de Jesus tornam-se fulgurante de luz, Moisés e Elias aparecem, "falavam de sua partida que iria se consumar em Jerusalém" (Lc 9,31). Uma nuvem os cobre e uma voz do céu diz: "Este é o meu Filho, o Eleito: ouvi-o" (Lc 9,35).
Por um instante, Jesus mostra sua glória divina, confirmando, assim, a confissão de Pedro. Mostra também que, para "entrar em sua glória!"(Lc 24,26), deve passar pela Cruz em Jerusalém. Moisés e Elias haviam visto a glória de Deus sobre a Montanha; a Lei e os profetas tinham anunciado os sofrimentos do Messias. A paixão de Jesus é sem duvida a vontade do Pai: o Filho age como servo de Deus. A nuvem indica a presença do Espírito Santo: "Tota trinitas apparuit; Pater in voce; Filius in homne, Spiritus in nube clara - A Trindade inteira apareceu: o Pai, na voz; o Filho, no homem; o Espírito, na nuvem clara"

Vós vos transfigurastes na montanha e, porquanto eram capazes, vossos discípulos contemplaram vossa Glória, Cristo Deus, para que, quando vos vissem crucificado, compreendessem que vossa Paixão era voluntária e anunciassem ao mundo que vós sois verdadeiramente a irradiação do Pai.

No limiar da vida pública, o Batismo; no limiar da Páscoa, a Transfiguração. Pelo Batismo de Jesus "declaratum fuit mysterium primae regenetarionis - foi manifestado o mistério da primeira regeneração". o nosso Batismo; a Transfiguração "est sacramentum secundae regenerationis - é o sacramento da segunda regeneração": a nossa própria ressurreição. Desde já participamos da Ressurreição do Senhor pelo Espirito Santo que age nos sacramentos do Corpo de Cristo. A transfiguração dá-nos um antegozo da vinda gloriosa do Cristo, "que transfigurará nosso corpo humilhado, conformando-o ao seu corpo glorioso" (Fl 3,21). Mas ela nos lembra tambpem "que é preciso passarmos por muitas tribulações para entrarmos no Reino de Deus" (At 14,22):

Pedro ainda não tinha compreendido isso ao desejar viver com Cristo sobre a montanha. Ele reservou-te isto, Pedro, para depois da morte. Mas agora Ele mesmo diz: Desce para sofrer na terra, para servir na terra, para ser desprezado, crucificado na terra. A vida desce para fazer-se matar; o Pão desce para ter fome; o Caminho desce para cansar-se da caminhada; a Fonte desce para ter sede; e tu recusas sofrer?

Extraído do Catecismo Católico

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

A inveja

Conta-se que um dia um avarento e um invejoso foram à presença do deus júpiter para fazer-lhe pedidos. O deus júpiter, percebendo logo as fraquezas dos dois, resolveu dar-lhes uma lição e disse então:
- Darei a vocês aquilo que me pedirem, porém lhes aviso, darei em dobro para seus vizinhos.
O avarento prontamente pediu ao deus júpiter que lhe desse uma sala repleta de ouro. Assim foi realizado seu desejo, e ao vizinho foi dado em dobro. O avarento não ficou muito contente quando viu que seu vizinho havia ganhado duas salas de ouro, porém conformou-se e foi embora.
O invejoso, que a tudo observa, quando lhe coube fazer o pedido, disse:
-deus júpiter, gostaria de lhe pedir que furasse meu olho direito.
Foi realizado o seu desejo e seu vizinho teve os dois olhos furados.
Há pessoas que ao invés de olharem para os progressos, sucessos, coisas e fatos positivos de sua própria vida, ficam o tempo todo prestando atenção e "vivendo" as outras pessoas, querendo para si o que as outras têm, querendo ser o que as outras são, querendo viver o que as outras pessoas vivem. São pessoas que fazem da "inveja" o seu padrão de relacionamentos humano. Não conseguem viver a própria vida e com isso atraem para si o descaso e o desdém dos normais. São dignos de pena, pois jamais conseguirão livrar-se de suas próprias amarras que as levam ao fracasso.
Pode parecer antigo falar de "inveja". Mas a verdade é que esse é um mal que ataca certas pessoas e as fazem não só atrapalhar a sua vida, como ajudam a infelicitar a comemoração e a vida dos outros.
E como se comporta o invejosos ou invejosa? É simples. Ele ou ela fala mal de tudo e de todos por todos os motivos. Se você faz muito é porque quer "aparecer". Se você não comparece é porque não quer participar. Se você fala é ruim. Se você fica quieto, é pior. Não há como agradar ou contentar pessoas que não estejam felizes consigo próprias e que vivem concentradas na vida alheia, no sucesso alheio. Essas pessoas não compreendem que quanto mais invejam, pior lhes é a própria vida, pois que terão sempre a dimensão de seus fracassos pelo sucesso dos outros.
O invejoso não consegue a necessária paz para empreender, para ser pró-ativo, para realizar coisas certas em benefício de sua empresa, das pessoas, de seus subordinados, de seus superiores. Ele está sempre "alerta", vendo, estudando, observando o que os outros estão ganhando, o que os outros estão sentindo. Nessa obsessão de "Viver a vida alheia", o invejoso perde a si mesmo e não sabe mais do que é capaz de pensar, realizar ou sentir.
Essas pessoas precisam de ajuda. Aconselhe. Faça-as ver que da forma como vivem e vêem o mundo, nunca serão felizes.
Mostre-lhes que a dimensão da felicidade e do sucesso está em fazer mais do que os outros esperam que façamos, em sermos "credores" e que no relacionamento humano e social a inveja impede o sucesso.
Leve-as a ver seus próprios pontos positivos, suas virtudes e suas possibilidades de vencer pelos próprios méritos. A pessoa invejosa é uma pessoa doente que não suporta sua imagem e somente consegue se olhar através do espelho do sucesso alheio.

"A inveja fornece a lama que o fracasso atira contra o sucesso."
D.C.Luiz - Livro Insight

Ir.'. Daniel de Carvalho Luiz

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

O Enigma da Vida


O que é a vida? Para que ela serve? Qual seu fim?

Inicialmente devemos falar de uma substancia espalhada no infinito. A substância una que é o céu e a terra, ou seja, segundo seus graus de polarização, sutil ou fixa. Essa substância é aquela que Hermes Trismegisto chama de o grande Telesma, quando ela produz o esplendor, chama-se luz. Foi essa substância que Deus criou antes de qualquer coisa ao dizer: "Que se faça a luz".

Essa luz é o é o espelho comum de todos os pensamentos e de todas as formas, ela guarda as imagens de tudo o que foi os reflexos dos mundo passados e, por analogia, os esboços do mundo que virá.

E o homem?, este é um ser inteligente e corporal feito à imagem de Deus e do mundo, uno em essência, é a forma do pensamento divino.

Zoroastro ensinava que quando Deus organizou a matéria do Universo, ele enviou sua vontade na forma de uma Luz muito brilhante, vindo ela a surgir na figura de um homem.

Os primeiros pré-socráticos influenciaram filosoficamente o Maçom. Eles começaram por indagar: "O que somos? O que é que existe? De onde vieram as coisas? Para onde iremos?. e se viram diante do grande problema do achar o princípio das coisas existentes. O que desejavam era encontrar uma resposta que se baseasse num ponto de vista lógico ou uma preposição de aspecto geral que permitisse chegar a conclusões concretas a partir de si mesmas. Era mister descobrir as razões das mudanças, talvez até aparentes, que se sucediam diante da natureza. O homem fica deslumbrado diante do fenômeno que consistia em as coisas mudarem, desaparecerem e a natureza continuar a mesma.

A vida é um enigma, é, é instrução e tema filosófico. O que sou? O que é a vida? O que estou fazendo neste mundo? Nestes parâmetro, faz-se presente a filosofia de Eléia, talvez maior entre os pré-sócraticos. Ele dizia: "Mas há no mundo o que importa mais que o mundo: o ser do mundo". Por isso é que dissemos que o pensar tem sempre o homem como alvo principal.

A um Provérbio que diz: "A verdade só poderá ser atingida pela própria experiência de cada um".


Ir.'. Alexandre de Toledo

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Auto-estima

Meu Valoroso Irmão!
Conta a lenda que o ser humano, quando foi criado, em virtude do imenso volume de qualidades que recebeu, ganhou uma grande bolsa para carregá-las. Ocorre que, como havia muitas qualidades e sua auto-estima era sempre positiva e muito grande, ficava pesada carregar tudo numa bolsa só.
Assim, o ser humano resolveu cortar a bolsa em duas partes, carregando uma na frente com algumas qualidades, e a outra atrás, com o peso maior, pois assim era mais fácil caminhar.
Porém, à medida que o tempo foi passando, todas as qualidades que estavam na bolsa de trás foram sendo esquecidas e o sentimento de auto-estima do ser humano foi se reduzindo.
O que essa estória nos explica é porque, em todas as estatísticas, de cada quatro pessoas, três sofrem de falta de autoconfiança, baixo conceito de si mesma e baixa auto estima. Acontece que, queiramos ou não, somos nosso crítico mais importante. Não existe opinião mais importante a nosso respeito, que a nossa própria opinião.
Em nosso dia-a-dia, o tempo todo temos uma "conversa silenciosa" que se passa entre os nossos ouvidos direito e esquerdo. E, na maioria das vezes, nem notamos qual o teor dessa conversa, mas que tudo o que trazemos na bolsa às nossas costas, fica rolando em nossa cabeça, diminuindo nosso sentimento de valor e competência pessoal.
sempre que nos sentirmos derrotados e rejeitados, o que temos de fazer é uma avaliação da nossa "BOLSA".

B = Bênçãos

Faça uma avaliação de tudo o que tem recebido de positivo em sua vida. Coisas que recebe e que nem valoriza mais de tão acostumada que já está. Sua saúde, comida à mesa, amigos, família, trabalho, seus estudos, enfim, as bênçãos são muitas.

O = Objetivos de vida

Pense quais são os seus sonhos, seus objetivos, o que está buscando, onde se encontra e onde quer chegar. Se não tiver sonhos e objetivos, procure criar alguns e comece a persegui-los.

L = Lições que a vida têm lhe apresentado

Lembre-se que nossos erros não são erros, mas aprendizados. Pense que todas as dificuldades que a vida possa ter-lhe apresentado, por mais difíceis que sejam de aceitar e enfrentar, na verdade resultaram de suas próprias escolhas e são lições de vida inestimáveis.

S = Sucesso

Pense em todos os sucessos e realizações em sua vida. Temos o péssimo hábito de esquecer das coisas boas e importantes que conseguimos. Mas, se você parar para pensar, vai ver que a lista de realizações e sucessos é imensa e você nem se dava conta.

A = Ações

Faça um balanço das ações que vem praticando para realizar seus sonhos e atingir os seus objetivos na vida. Se achar que não está agindo de acordo, mude. Afinal, já que temos uma BOLSA para carregar tantas coisas boas a nosso respeito, por que não tirarmos o melhor proveito dela?

Ao seu sucesso e auto-estima positiva!

Escravidao Moderna

A cada 10 minuto se trafica uma mulher ou uma criança na fronteira americana para fazer trabalho forçado.
A industria de tráfico humano internacional movimenta de 9 a 17 bilhões de doláres por ano, ficando a sim em segundo lugar em arrecadação, perdendo somente para o tráfico de drogas.
Se estima que existem 27 milhões de pessoas vivendo em escravidão nos dias de hoje e que 2 milhões de pessoas são traficadas a cada ano.
Os traficantes humanos usam três diferentes métodos:
Força - violência sexual, violência física e confinamento.
Fraude - falsas ofertas de trabalho, casamento e melhores perspectivas de vida.
Coerção - abuso psicológico, ameaças e dívidas (faz-se um "favor" e depois se cobra)
Olhando o mapa mundial não se vê nehum país isento de tráfico humano. Chineses são levados para trabalhar em fazendas do Equador. Equatorianos são levados para trabalhar em fazendas na Colômbia, crianças sequestradas no Texas se tornam escravas sexuais no México, etc.
Como se pode identificar uma vitima do tráfico humano?
Está sempre acompanhada de outra pessoa que parece que a controla;
Raramente aparece em público;
Apresenta algum sinal de abuso físico ou psicológico;
Aparenta medo ou se comporta submissa;
Fala outro idioma ou tem sotaque de outra região.
Caso se depare com alguém que sinta como vítima de tráfico humano, procure usar as seguintes questões:
Você pode sair e voltar quando desejar?
Se você tentar sair, poderá receber algum castigo?
Alguém ameaçou sua família?
Como são suas condições de trabalho?
Onde você come e dorme?
Você tem de pedir para ir ao banheiro, comer, etc.?
Existem trancas onde você mora que a impeçam de sair?
Alguém a proibe de conversar com outras pessoas ou de ir a igreja?
Caso saiba de algo denuncie. Muitos pais e familiares serão eternamente gratos.
Moro na Flórida há mais de sete anos. A Flórida é o 20 estado na América em número de casos de tráfico humano. Por isso, se algum filho(a), ou sobrinho(a) venha estudar, estagiar, trabalhar ou passar férias aqui deve-se checar tudo com o máximo de segurança e atenção.
O tráfico humano é uma grande rede. Que rouba bebês para serem vendidos para pedófilos, mulheres para prostituição, homens para o trabalho escravo, etc. É um dos piores atos contra a vida humana e deve ser repudiado e combatido por toda a humanidade.
Se o crime é organizado, já é tempo do bem também se organizar.

Ir.'. Otavio Vieira 320

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Quando me tornei Invisivel

Já não sei que data estamos. Lá em casa não há calendários e na minha memória as datas estão todas misturadas. Me recordo daquelas folhinhas grandes, uns primores, ilustradas com imagens dos santos que colocávamos no lado da penteadeira. Já não há nada disso. Todas as coisas antigas foram desaparecendo. E sem que ninguém desse conta, eu me fui apagando também...
Primeiro me trocaram de quarto, pois a família cresceu. Depois me passaram para outro menor ainda com a companhia de minhas bisnetas.
Agora ocupo um desvão, que está no pátio de trás. Prometeram trocar o vidro quebrado da janela, porém se esqueceram, e todas as noites por ali circula um ar gelado que aumenta minhas dores reumáticas.
Mas tudo bem...
Desde há muito tempo tinha intenção de escrever, porém passava semanas procurando um lápis. E quando o encontrava, eu mesma voltava a esquecer onde o tinha posto. Na minha idade as coisas se predem desaparecem.
Noutra tarde dei-me conta que minha voz também tinha desaparecido. quando eu falo com meus netos ou com meus filhos não me respondem. Todos falam sem me olhar, como se eu não estivesse com eles, escutando atenta o que dizem. As vezes intervenho na conversação, segura de que o que vou lhes dizer não ocorrera a nenhum deles, e de que lhes vai ser de grande utilidade.
Porém não me ouvem, não me olham, não me respondem. Então cheia de tristeza me retiro para meu quarto e vou beber minha xicara de café.
E faço assim, de propósito para que compreendam que estou aborrecida, para que se dêem conta que me entristecem e venham buscar-me e me peçam perdão...Porém ninguém vem...
Quando meu genro ficou doente, pensei ter a oportunidade de ser-lhe útil, lhe levei um chá especial que eu mesma preparei. Coloquei-o na mesinha e me sentei a esperar o tomasse, só que ele estava vendo televisão e nem um só movimento me indicou que se dera conta da minha presença. O chá pouco a pouco foi esfriando... e junto com ele, meu coração...
Então noutro dia lhes disse que quando eu morresse todos iriam se arrepender. Meu neto menor disse: "Ainda estás viva vovó?". Eles acharam tanta graça, que não pararam de rir. Três dias estive chorando no meu quarto, até que numa manhã entrou um dos rapazes para retirar umas rodas velhas e nem o bom dia me deu.
Foi entao quando me convenci de que sou invisível...Parei no meio da sala para ver, se me tornando um estorvo me olhavam. Porém minha filha seguiu varrendo sem me tocar, os meninos correram em minha volta, de um lado para o outro, sem tropeçar em mim.
Um dia se agitaram os meninos, e me vieram dizer que no dia seguinte nós iríamos todos passar um dia no campo. Fiquei muito contente. Fazia tanto tempo que não saía e mais ainda ia ao campo!
No sábado fui a primeira a levantar-me. Quis arrumar as coisas com calma. Nós os velhos tardamos muito em fazer qualquer coisa, assim que adiantei meu tempo para não atrazá-los. Rápido entravam e saíam da casa correndo e levavam as bolsas e brinquedos para o carro. Eu já estava pronta e muito alegre, permaneci no saguão a esperá-los.
Quando me dei conta eles já tinham partido e o carro desapareceu envolto em algazarra, compreendi que eu não estava convidada talvez porque não coubesse no carro,
Ou porque meus passos tão lentos impediriam que todos os demais caminhassem a seu gosto pelo bosque. Senti claro como meu coração se encolheu e a minha face ficou tremendo como quando a gente tem que engolir a vontade de chorar. eu os entendo, eles vivem o mundo deles. Riem, gritam, sonham, choram, se abraçam, se beijam. E eu, já nem sinto mais o gosto de um beijo.
Antes beijava os pequeninos, era um prazer enorme tê-los em meus braços, como se fossem meus.
Sentia sua pele tenrinha e sua respiração doce bem perto de mim. A vida nova me produzia um alento e até me dava vontade de cantar canções que nunca acreditara me lembrar. Porém um dia minha neta Laura, que acabava de ter um bebê disse que não era bom que os anciãos beijassem aos bebês, por questões de saúde...
Desde então já não me aproximo deles, não quero lhes passar algo mal por minhas imprudências. Tenho tanto medo de contagiá-los!
Eu os bendigo a todos e lhes perdôo, porque...

QUE CULPA EU TENHO DE TER ME TORNADO INVÍSIVEL?

Tradução Helsan