segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

É Natal outra vez...


È Natal outra vez....
Só agora uma pausa.
Só agora o silêncio necessário
para a percepção serena
de que é, de novo, NATAL!

Só agora o olhar enternecido para o abraço,
a palavra essencial para a expressão do afeto,
a delicadeza dos gestos,
a possível oração...

É que o mundo andam inquietos,
sem tempo
para o nascimento singelo...
É que toda esta pressa,
esta urgência de ir e vir,
este espaço enorme nas bolsas ávidas de presentes,
este anseio de aparência,
esta festa programada sem o aparato da substância,
sem a beleza original,
sem Maria nem José,
sem a ternura dos anjos,
sem a estrela peregrina,
sem os pastores do campo,
sem os Magos e sua fé,
ainda escondem o Menino,
cuja humildade divina
é sempre roteiro e lição...

Em meio a tudo isto,

pergunto-me sobre os presepios
que sempre vi quando, criança ainda,
armava bênçãos encantadas na alma,
e o presépio embalava minhas puras fantasias...
O NATAL chegava, de mansinho,
e se aninhava em meus recantos mais sagrados;
então eu podia sentir o seu cheiro mágico e espiritual!...

Antes o tempo dormia nascituro como Jesus na manjedoura...
Hoje, quando cresci para a vida, ele acorda
e me cobra a soma de esforços.
Confesso que nem sempre dou conta de me equilibrar no seu fio invisível,
mas, sobre as palhas do meu coração cansado,
o Doce Menino pede lugar
e me sussurra baixinho:
- Renasce em ti mesma, pois é NATAL outra vez!...

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Dia Nacional do Idoso...



Sem grande repercussão de mídia, comemorou-se o Dia Nacional do Idoso, data que substituiu o dia do Ancião constituída pela Igreja na Festa de São Vicente de Paula.
Que afinal tem o idoso brasileiro para comemorar?
- Aposentadoria de um salário mínimo que não lhe permite sequer sobreviver de forma digna embora haja uma corrente do que digam que é “melhor do que nada”.
Sobreviver com atendimento precário no “Serviço único de saúde, sendo relegado ao ultimo lugar, já que a orientação é salvar os mais jovens, e visto que a saúde Pública hoje é na base do “salva-se quem puder”.
Ser relevado ao lugar mais insalubre da própria casa, ou  da casa dos filhos ou dos netos que orgulhosamente apresentam o cubículo como o  quartinho do “vovó” ou da “vovó” como se fora o melhor lugar do mundo, onde ninguém o incomoda pois também ninguém o visita, nem mesmo as visitas.
Ser alimentando fora das refeições da família porque sua forma  de comer faz nojo, porque sem dentes e com a pele flácida do rosto não tem o atrativo do arroto dos jovens que abusa m da “boa educação” à mesa com prática que fariam vovó ou vovô reclamar.
Ouvir  grito dos filhos ou serviçais , porque perdeu um pouco a audição e não  o socorrem com um aparelho auditivo  gratuito, pelo desinteresse, em cuidar do pobre “velho surdo”.
Nas festas de família ser exibido como bonito, bem tratado, limpinho e ficar alí num cantinho sem a menor atenção, a não ser, quando um visitante indiscreto, se lembre em colocar o velho em evidência sofrer por parte de cuidadores inescrupulosos, maus tratos psicológicos e físicos, sendo vitimas silenciosas  e tristes chantageados e oprimidos.
Relegados por fim aos asilos ver dia após dia a estada  vazia da entrada da casa sem uma visita, terminar os dias no meio de estranhos indiferente, que os tratam  com a frieza dos que buscam apenas ganhar o salário cuidando de “velhos”.  É com os olhos embaçados  pelas lagrimas tristes da solidão e do abandono sendo apresentados mesmo pagando como obra de benemerência. Enfim meus irmãos, o idoso apesar de todos os esforços feitos por seguimento da sociedade que os apóia, apesar do próprio movimento dos Aposentados que tem caráter nacional e conseguiu ate mesmo aprovar o estatuto do idoso até aí não tem podido receber da sociedade o reconhecimento pelo auto valor do serviço que prestaram.
Cabe pois a nós como Igreja denunciar o abuso a violência, visto que não é pequeno o numero das vitimas e maus tratos, assaltos e agressões varias, além claro do que já referenciamos acima do que tanto dói na alma de quem dedicou sua vida a filhos amigos trabalho e família de um modo geral. Deus guarde nossos idosos.

Dom Augusto

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

As dores de Maria...


Muitos já escreveram sobre as dores da Mãe de Jesus e com requintes tais que eu só me atrevo a fazê-lo por desejo levar os nossos irmãos a uma reflexão sobre o porque do sofrimento e da dor no aperfeiçoamento espiritual do Cristão.
Escolhida mãe de Jesus Maria suportou logo de inicio a dificuldade de mostrar ao mundo no seu tempo uma solidez concebida mediante a intervenção divina quando ela ainda era apenas a prometida de José. De Sobressalto ela partiu para visitar Isabel a prima que engravidara na velhice e que Maria ajudou no preparo do enxoval quando a recebeu tributando-lhe a honra de ser a "Mãe do seu Senhor", conforme o Evangelista Lucas.
O parto sacrificado na cidade de Davi manteve sobre a tensão de hospedar-se numa gruta da a luz ao Filho sem contar com o conforto sequer do apoio familiar como soe acontecer. Ao apresentar o Menino ao Senhor conforme a Lei tinha o Velho Simeão falado das Dores que que haveria de sofrer por ser a criança sinal de vitoria ou derrocada para muitos, da fuga apressada para o Egito até a vida em Nazaré e episódio da perda do menino no Templo, mais a mãe de Jesus guardava em seu coração os sinais com que Simeão a alertará aquele dia no Templo. Entretanto a dor maior para Maria foi a dor da Paixão, o sofrimento do calvário faz confranger-se o coração da Santa Mãe como se uma espada houvesse atravessado o sacro coração. A mater dolorosa suporta ao pé da Cruz o exalar do ultimo suspiro do Filho sacrossanto que se sacrifica pela humanidade mas que num gesto extremo entrega ao discípulo Amado aquela que se tornara também a mãe de toda a Igreja conforme o entendimento de tudo o que seja a tradição.
Esta festa de hoje assinala a dor de Maria que é um exemplo para todos nós que queremos se filhos seus, Ela nos ensina que é pelo sofrimento que alcançamos a glória da santificação. Ela que já nasceu Santa também sofreu pela glória da Missão que recebeu. Mãe das Dores, Rogai por nós.

Dom Augusto

terça-feira, 13 de setembro de 2011

A exaltação da Santa Cruz..


A festa da Exaltação da Santa Cruz é uma oportunidade para refletirmos sobre o instrumento usado para a condenação de Jesus de Nazaré. O Cristo de Deus, no momento que sua doutrina começava a expandir-se junto ao Povo que ansiosamente aguardava por uma palavra de esperança - "O povo que andava nas trevas viu uma grande luz". Dentre os instrumentos de tortura usados pelos Romanos estavam: o latego, a cruz, os galés e outros. Jesus conheceu dois destes, o latego com qual foi flagelado até a axaustão pelos algozes de Pilatos, como diz o livro: "até moerem todos os seus ossos." A cruz que consistia de duas peças de madeira justapostas deveria expor à execração publica o supliciado o humilhando e espondo a mais completa degradação como ser humano.
Jesus de Nazaré era o inocente Cordeiro "levado ao matadouro", encarnava o Filho primogenito, sendo o Cristo de Deus, sua missão era a redenção da humanidade mediante o anuncio da Boa Noticia e o Sacrificio único cruento da Nova Aliança. Ele o aceitou como o Calice do Sacrificio fazendo a vontade do Pai.
A exaltação da Cruz lembra o sacrificio do Amor de Deus por nós. "Deus deu ao mundo seu próprio Filho para que todo aquele que nele crê não pereça mas tenha a vida Eterna."

Dom Augusto

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Dia Nacional de Combate ao fumo


Meus irmãos é uma pena observar o que faz uma pessoa viciada para manter o vicio. A onda de violência que assola a nossa sociedade vem em grande parte do descontrole daqueles que se deixam seduzir pelo vicio das drogas ilícitas. Para os viciados em consumo de drogas que transtorna o comportamento a vida só vale o momento do êxtase alcançado o pico do efeito do alucinogéno. Nesse ponto e na falta dele matam, roubam, violentam, agridem, tudo faz parte do jogo, não há consciência há apenas uma insana sensação da satisfação da necessidade do vicio. O cigarro é uma das portas pela qual entram aqueles que só depois se deixam seduzir no descaminho de outras formas de corromper-se. Os numeros da epidemia causada pelo cigarro são assustadoras, milhões de pessoas dizimadas por doenças como: câncer, tuberculose, cardiopatias varias, fígado, etc. são vitimados mensalmente pelo consumo do cigarro. O posto público no atendimento de famílias desamparadas em consequencia da morte de pais fumantes e desamparadas por filhos órfãos que sem animo de toda a vida. A Sagrada Escritura diz que os viciados não verão a face de Deus portanto devemos ter consciência que cristão não pode subalternizar-se ao vicio para não perder a graça da Salvação.

Dom Augusto

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

20 de agosto dia do Maçom

video

Meus irmãos, celebramos no ultimo dia 20 deste mês o dia de São Bernardo de Claraval, e concomitantemente o Dia do Maçom. A coincidência das duas datas, nos chama atenção uma vez que não há referência que a data tenha sido instituída de forma a coincidir com a celebração do dia da Regra original da Ordem do Templo. Ora sabendo que o Templo como organização tem destacado papel na formação da Maçonaria quisemos juntar as datas e também de forma inusitada tivemos em nosso Programa de Rádio a presença do Grão Mestre da grande Maçonaria Mista da Bahia, Movimento renovador que permitiu a Mulher a participação efetiva na loja como Maçom participando assim não mais como apenas aquelas que cuidavam da parte social da loja, mas agora como Irmãs desempenhando todas as funções.

Estes irmãos nos visitaram no domingo ocasião que agradecemos a Deus por tão portentoso evento o qual nos abre uma nova perspectiva entre a Igreja e a Maçonaria fruto de tantos interrompidos enganos e engodos ao longo dos séculos.

A igreja Católica Apostólica Independente da Tradição Salomoniana abraça os Irmãos Maçons e compreendem a ordem com uma das mais significativas organizações humanas no aprimoramento moral e espiritual de seus seguidores que se irmana em servir tão presentes nos ideais de solidariedade, Igualdade e Fraternidade.

Que Deus nos abençoe a todos!

Dom Augusto
Bispo da Igreja Católica Independente de Tradição Salomoniana

Convite onomástico (aniversário) Dom Augusto



quarta-feira, 24 de agosto de 2011

sobre a segunda união parte II

Sobre a segunda união parte II

Como dissemos, nossa Igreja entende que deve dar uma outra oportunidade àqueles que porventura tenham sido vitimas de uma separação. Compreendemos que um Sacramento para ser validamente administrado e recebido e consequentemente transferido seu efeito àquele que o recebe, deve ser transmitido pelo ministro daquele Sacramento, com a formula corretamente pronunciada e usando a matéria referente aquele efeito desejado; a transmissão, tanto da graça, quanto do carisma com seus efeitos. Ora o Sacramento do matrimonio tem como Ministro os próprios noivos, como formula as palavras sacramentais do consentimento isto é "Eu te recebo por minha esposa (esposo) e te prometo ser fiel, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, por todos os dias da minha vida". E como Matéria Sacramental o Amor.

Ora, sabe-se que se um dos elementos do Sacramento estiver impróprio não há efeito sacramental e não há a transmissão do carisma. Assim sendo, observa-se que quando da separação de um casal um ou dois dos elementos sacramentais, estão pois corrompidos ou seja contaminados. Por exemplo, se não há mais Amor, pode se dizer que o sacramento naturalmente, dissolve-se por falta dos elementos essenciais a plena realização do mesmo.

Partindo dessa interpretação cabe ao Bispo em sã consciência, determinar a anulação do vinculo e determinar a ministro autorizado a realização das sagradas núpcias, apenas uma segunda vez não sendo permitido que se faça por vezes seguidas a bênção nupcial dos que se separam.

Na segunda união, deve o Ministro que recebe o casal verificar o fiel comprimento do que a lei determine sobre os filhos do casal se houver.
Deve pois aqueles que buscam a segunda união terem em mente que a Igreja lhes concede um beneficio espiritual baseada na presunção de que se ame verdadeiramente e que este amor seja em dom de Deus.

Informe-se sobre a segunda união pelo nosso telefone (75) 3623-4699

Dom Augusto

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Sobre a família Cristã


Repensar a organização familiar faz parte da tarefa diária para todos aqueles sobre cujo ombros pesa a responsabilidade de contribuir com o desenvolvimento humano. Organização pensada e criada por Deus para ajudar o homem de forma a que se desenvolvesse física-intelectual e moralmente, agregando ai também o crescimento do espírito, a família é esse núcleo onde o homem nasce, cresce se desenvolve e morre. Pensar pois a organização e desenvolvimento da família é contribuir para o melhor ordenamento da sociedade e uma maior ampliação da vivência do sentimento religioso.
Na idade moderna, com o desenvolvimento económico, deu-se uma nova feição à condução da família, desde a sua formação, até os passos mais concretos de sua constituição. Como forma moderna de ser a família de nossos dias dispensa até a presença de um dos cônjuges, já que produções ditas independentes", dispensam a presença do Pai e o fruto de uma inseminação artificial é criado como filho só da mãe, auto suficiente que deturpa na criança informação dissociando a necessidade do referencial masculino e assim o filho sem esse esteio na personalidade, cresce ignorando a realidade de um lar.

A falta da pratica religiosa e sua efetiva observância no lar. leva o individuo ao desconhecimento total de si mesmo. Nessas circunstancias a religião seria o alimento que daria uma performance de espiritualidade e amor, não existindo estes pressupostos básicos de organização familiar fé amor pai e mãe e disposição de cuidar e educar com toda a responsabilidade que isto implica, não sendo desta forma, não se pode esperar que a sociedade possa contar com cidadãos aptos a bem servir a organização social politica e religiosa do estado.

Dom Augusto
Bispo da ICAI-TS

Casamento de segunda união (ou de divorciados)

A Igreja Católica da Tradição Salomoniana por seus estudiosos da Doutrina da Escritura sobre a união do homem e da mulher a que se denomina – Matrimônio ou união conjugal – Casamento etc. compreende que o vinculo sacramental expresso pela manifesta vontade dos cônjuges em presença de testemunhas e da comunidade e em ato de consagração a Deus do Amor que sentem um pelo outro e do desejo de viver em comunhão buscando cada um a felicidade do outro.
A realização de tal projeto entretanto algumas vezes sofre as injunções do mundo exterior que lamentavelmente interfere na vida do casal, vindo desaguar na separação de ambos e dissolução da família então constituída. Quando esgotado os recursos para manter a união do casal a Igreja tem o dever de manter o cuidado com almas daqueles a quem teve a felicidade de unir sacramentalmente não os deixando a própria sorte.
Devido o papel de mãe e mestra a igreja transmite pela assistência religiosa orientação aos que se separam para que não se afaste de Deus e dos seus filhos dos quais não se apartem nunca.
Ora Irmãos, consumada a separação e da natureza do homem que surja outro interesse ou sentimento por outra pessoa. Neste caso a Igreja não pode negar a estes o direito de uma nova vida e uma oportunidade nova que lhe é oferecida pelo próprio Deus através do amor. Sabendo que o Amor é dom de Deus ninguém pode amar a não ser que o Senhor lhe faculte tal sentimento; dai compreende-se que a benção a este novo amor não pode ser negada. Por isso a nossa Igreja, oferece a Benção Matrimonial aos fieis que buscam a segunda união (casamento de Divorciados) para assim perpetuar a Benção de Deus a essa nova família e aos filhos que gerar.
A cerimônia obedece ao rito normal e é precedida da preparação e apresentação dos documentos de praxe.
Que o Senhor mantenha sempre unidos aqueles que abençoôu pelo sacramento do Matrimonio. Amém!


Dom Raimundo Augusto
Contato: (75) 3623-4699

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Semana da Família


Meus irmãos,

Celebra-se nesse próximo domingo dia 14/08 o Dia dos Pais. Deixando de lado todo o apelo comercial da data utilizada por nossa sociedade consumista com mais uma oportunidade para a movimentação financeira do comercio e aquecer a economia. Mas, considerando o carater espiritual da comemoração, devemos lembrar da figura paterna como aquele que todo dia desempenha na vida dos filhos, relevante papel de protetor, defensor, criador, mantenedor e amigo de todos os momentos.

Representa na Sociedade conjugal aquele parceiro sem o qual é impossivel formar-se a familia, observando-se os meios naturais de procriação. Nesse mister o homem chamado a tal vocação, recebe de Deus um dom especial que o torna representante do próprio Deus.

O Pai muitas vezes é execrado quando no desempenho do papel de esposo sua relação com a companheira sofre solução de continuidade, resultando dai na separação dos tais. Nestes casos, o grande erro que se comete é separar os filhos do Pai por que o casamento não deu certo, a figura Paterna é de fundamental importância para formação do carater do filho. assim, no Dia dos Pais que haveremos de considerar?

Consideramos este homem que doa de si a parcela para a formação do filho e que dai vem o mérito de sua missão, lembramos que muitos deles se dão ao trabalho exaustivamente para manter e dar sentido a vida dos seus filhos. Seus exemplos, seus ensinamentos e cuidados, nos fazem lembrar de tudo quanto devemos a estes heróis. Agradecemos pois a Deus pela vida e pela história de nossos queridos pais, os quais tanto contribuem para a nossa felicidade.

Parabéns Papai
!

Dom Augusto

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Infidelidade virtual....


Infidelidade virtual

“Ouvistes que foi dito: “Não cometerás adultério”. Ora, eu vos digo: todo aquele que olhar para uma mulher com o desejo de possui-la, já cometeu adultério com ela em seu coração.” Mt 5,27-28

Meus irmãos,

Muito se tem conversado e escrito, sobre um determinado site que na internet estimula as pessoas a traírem seus parceiros em relações pela rede, indo de simples flerte até o sexo virtual. Discute-se sobre se tau pratica se constitui ou não uma traição conjugal ou um ato de infidelidade a um parceiro de relacionamento.

Na verdade não fora o permisivismo imperante no nosso tempo, tal hipótese nem seria discutida, como pode um cristão discutir que tais distrações possam ser considerados normais e não se constitui uma grave falta para com Deus e nem com aquele que compartilha a vida e os sentimentos? Na atual realidade interpretativa desta moral nossa, o ato não se consubstanciou fisicamente ficando apenas na pratica individual e solitária do prazer dado largas somente as mais esdrúxulas fantasias, entretanto meus irmãos o que dizer do texto que ilustra o pensamento do nosso Salvador Nosso Senhor Jesus Cristo?

Meus irmãos, o verdadeiro amor se pauta não pelo prazer mas pela felicidade da essencialidade do outro em nossa vida, o prazer de compartilhar com o outro, os sentimentos alegrias e tristezas, compartilham a vida. Assim sendo não se compreende que quem verdadeiramente ama precise buscar por vias tão irreais uma satisfação que apenas atende a concupiscência da carne.

Por isso meus irmãos e irmãs, mesmo aqueles que ainda não estão comprometidos ou aqueles que namoram é salutar tais praticas virtuais uma vez que se constitui apenas vícios sexuais, uma prevaricação pecaminosa, por ser vicio apenas e segundo a palavra “os viciados não verão a face de Deus”.

Dom Augusto

sexta-feira, 22 de julho de 2011

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Da homofobia e união civil das pessoas com opção sexual diferente

Meus irmãos,


Muito se tem falado sobre este tema, às vezes com ânimos acirrados que desaguam em polémica esteril ou agravos desnecessários.
Os que postulam pelo reconhecimento do direito de ser diferente na opção sexual apresentam suas razões oferecendo o preconceito e as agressões sofridas desde a família até o meio social onde vivem, como motivo para que seus direitos sejam reconhecidos e respeitados.
Os que se posicionam ao contrário, se colocam muitos dos tais abrigados, no ensinamento religioso que deturpado, resultou na homofobia defendida até por quem não poderia no interesse próprio, defende-la.
Meus irmaõs, o Direito Universal do homem declarado e aceito universalmente não permite que qualquer minoria sofra repressão, perseguição ou combate no seu direito de existir e de livremente manifestar-se face a sociedade, dentro dos limites do direito natural da coexistencia pacifica dos diferentes assim sendo, a legislação civil brasileira, ao reconhecer o direito de pessoas do mesmo sexo de estabelecerem entre si sociedade que lhes preserve os direitos de coexistir não fere o principio que estabelece o Matrimônio como Sacramento da união entre um homem e uma mulher para a formação da família e dai gerar filhos formando a sociedade familiar.
Ora irmãos vivemos um tempo de extrema dificuldade para o cristão e para os que lutam por uma sociedade justa e fraterna, defronta-se derrepente com certas estratégias de alienação, por desvios do verdadeiro objetivo do ideal daqueles que crêem, para que com temas subjetivos, destruir e confundir a razão e fazer com que não percebam mais que razões maiores com as quais nos devemos preocupar como por exemplo a Educação, Saúde, Trabalho, Segurança, Família e outros tantos que dependem de leis menos polémicas, mais, que não atendem aos interesses das classes dominantes no Brasil, o "petismo", e por isso não entram na pauta das decisões mais urgentes e dão lugar a que temas de fundo polémico e carater controverso sejam levados à ordem do dia e assim distraidos não percebamos os que sofrem fome e sede de justiça.
Oremos para que Deus nos abenções e não sejamos mais massa de manobra dos que só pensam no poder e usam os negros, os homossexuais, os aposentados, e outros como estandarte para manter-se no poder.

Dom Augusto

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Semana de Oração pela unidade dos Cristãos...

A partir da celebração da Ascensão do Senhor, a Igreja prepara-se para celebrar o dia de Pentecostes, festa maior da Igreja onde a descida do Espírito Santo da partida a grande peregrinação da Igreja rumo ao céu, onde o Senhor foi prepara-nos um lugar. Tendo consciência da necessidade de formamos a família dos Filhos de Deus a Igreja vem Povo de Deus, ao longo dos séculos procurando dirimir as duvidas e quebrar os obstáculos que separam a família cristã. As grandes divisões ocorridas no cristianismo não foram suficientes para impedir que continuemos vivendo a esperança de realizar os desejos do Senhor Jesus em João 17 a da formação deste rebanho único redil de esperança da Salvação para toda esta sofredora humanidade.
Quando em 1936 um grupo de cristãos sob a orientação do Reverendo Salomão Ferraz formam o movimento Católico Livre o faz exatamente por pensar que o desejo do Mestre Divino deva se realizar neste tempo profético, onde a esperança renovada naqueles corações tenta viver as diferenças estabelecer sob a orientação do Bom Pastor um pequeno rebanho de ovelhas fieis e sonhadores da unidade.
Agora nesta semana de oração no aguardo do dia de Pentecostes a velha chama sempre re reacende em nossos corações ornando-nos da coragem para pedir perdão por vivermos separados, coragem para abrir os braços e acolher o irmão que embora diferente é igual na pratica do verdadeiro Amor.
Que sejamos pois um no Cristo como ele e o Pai são também um.

Deus nos abençoe!

Dom Raimundo Augusto
Bispo Diocesano da Igreja Catolica
Apostolica Independente de Tradição Salomoniana

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Páscoa do Senhor!!!

Meus irmãos,


Estamos na oitava da Páscoa, esta semana de Alegria!! que rememora os primeiros passos do ressuscitado é o novo momento daqueles que o seguem e agora terão que conviver com a nova realidade da Historia da Salvação, o momento do Novo Testamento.

Para viver a realidade emocional deste Tempo é preciso que a Páscoa não seja apenas uma data historica a ser lembrada com alguns gestos, mas que seja realmente vivida como um momento, nos situamos num Tempo Liturgico perfazendo os passos e revivendo do interior dos nossos coraçoes o grande acontecimento da vitoria da vida sobre a morte. Imaginar com que ansiedade humana esperaram os discipulos pelo reencontro com o mestre que eles viram subir a cruz do calvario e espirar entregando ao Pai o Espirito, consumando assim o misterio da redençao, promessa do Pai feita aos homens desde os fundamentos da História humana a esperança com que reencontram o Salvador com as marcas da nossa Salvação.
Que tempo extraordinario, meus irmaos, como Cristãos devemos aproveitar estes momentos para fazer reacender a chama da Fé e revigorar a  Esperança e o amor" para inserir-se completamente na historia da Salvação, somos a historia do Novo Testamento somos o novo povo de Deus que caminha nos caminhos do mundo, onde anunciamos aos tristes a alegria e aos pobres a Salvação, somos missionários da Luz e devemos também ser o Sal da Terra. É pois neste tempo novo que devemos aprimorar a nossa relação com Deus e os irmãos para que a experiência do Santo Sepulcro dignifique este reencontro com a vida plena e habundante em Cristo Jesus.

Palavras do Bispo Dom Raimundo Augusto da Diocese de Feira de Santana

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Programação da Semana Santa Capela de Santa Luzia

A cruz é o unico sacrifício de Cristo, "unico mediador entre Deus e os homens". Mas pelo fato de que, em sua Pessoa Divina encarnada, "de certo modouniu a si mesmo todos os homens", "oferece a todos os homens, de uma forma que Deus conhece, a possibilidade de serem associados ao Mistério Pascal". Chama seus discipulos a "tomar sua cruz e a segui-lo", pois "sofreu por nós, deixou-nos um exemplo, a fim de que sigamos seus passos". Quer associar a seu sacríficio redentor aqueles mesmos que são os primeiros beneficiários dele. Isto realiza-se de maneira suprema em sua Mãe, associada mais intimamente do que qualquer outro ao mistério de seu sofrimento redentor.

PROGRAMAÇÃO DA SEMANA SANTA - CAPELA DE SANTA LUZIA


* Quarta-feira - Dia 20/04/2011

18:30 hs Confissão Comunitária

Dia da Penitência - Ato de purificação pelo reconhecimento dos pecados, publicamente confessados, pela contrição e arrependimento.

* Quinta-feira - Dia 21/04/2011

Missa da Ceia do Senhor "Instituição da Eucarístia" com Lava pés.

Após a Missa, transladação do Santíssimo Sacramento. Adoração ao Santíssimo, entrega da Cesta de Alimentos.

* Sexta-feira Santa

22/04/2011

* 9 horas - Adoração

18 horas - Oficio da Paixão

Oficio das almas

* Sabado Santo

Dia do Silêncio

18 horas Inicio a Vigilia da Páscoa

* Domingo de Páscoa

8 horas da manhã - Missa da Ressurreição do Senhor

18:30 horas - Missa da Páscoa

VENHA PARTICIPAR CONOSCO.

quinta-feira, 31 de março de 2011

QUARESMA

“JESUS CRISTO PADECEU SOBRE PÔNCIO PILATOS FOI CRUCIFICADO MORTO E SEPULTADO”

Meus irmãos, desde o inicio do ministério publico de Jesus, fariseus e adeptos de Herodes, com o Sacerdotes e Escribas, mancomunaram para matá-lo. Os atos praticados por ele (expulsão de demônios, perdão dos pecados, curas em dias de sábados, interpretação original do preceito de pureza da lei, familiaridade com os publicanos e pecadores) tudo isso fez com que Jesus o Cristo de Deus, parecesse suspeito aos olhos daqueles que se autodenominavam os donos da Lei, da Religião, da Justiça e atribuíam a Ele possessão demoníaca a melhor e mais forte maneira de desacreditá-lo. Para condená-lo, chamaram-no de blasfemo e falso profeta, crimes que a Lei punia com morte sobre a forma de apedrejamento, parecia aos olhos de muitos que Jesus agia contra as instituições essenciais do judaísmo:

- A submissão à Lei na integralidade de seus escritos e para os fariseus na interpretação da tradição oral;

- A centralidade do templo de Jerusalém como lugar Santo em que Deus habita de forma privilegiada;

- A Fé no Deus único cuja glória nenhum ser pode compartilhar.

Apresentar-se como o cumpridor da Lei, o Messias, portanto o Maior no Reino do Céu, faz com que àqueles que se consideravam privilegiadamente representantes de Deus, se coloquem em franca oposição ao Nazareno, a ninguém era dado transgredir a nenhum dos preceitos legais estabelecidos pela Lei, pela Tradição Oral e pelo templo.

O cumprimento perfeito da Lei, só poderia ser do LEGISLADOR DIVINO, nascido sujeito a Lei, na pessoa do Filho de Deus em Jesus o Cristo, a Lei não é mais gravada em tabuas de pedra mas no fundo do coração, neste ponto Jesus cumpriu a Lei até tomar sobre si, a maldição da Lei.

Embora aparecesse aos olhos dos fariseus e dos judeus, dos chefes espirituais e da corte herodiana, como um “rabi”, seu ensinamento foi sempre questionado, este tempo da quaresma que ora celebramos é um tempo propicio a refletir-se sobre estes acontecimentos, e a analise for isenta encontraremos em Jesus perfeita reverência pelas instituições desde o Templo até as Leis, desde os costumes até as mais simples praticas religiosas, Na sua caminhada evangélica, Jesus ministrou a doutrina do amor primeiramente a Deus e depois ao próximo. No amor a Deus e no amor ao próximo estava o mais estrito cumprimento da Lei do Sinai, a sua subida ao Templo reverência o costume religioso e portanto a sua reverência pela fé dos Judeus, a eleição do homem entretanto como autentico templo de Deus é que o torna um blasfemo diante daqueles que interpretavam a Lei “ipsis líteris”.

Voltaremos a falar sobre o Drama da Paixão com a morte de Jesus na cruz do calvário, ressaltando entretanto que é importante neste tempo refletirmos, jejuarmos e orarmos para não cairmos na tentação de apenas transformamos a Semana Santa e a Páscoa num feito meramente histórico.